Homem Com Pênis Mais Grande Do Mundo Faz Cirurgia de Redução (Saiba Mais)

Fonte: CM
Horace Owiti Opiyo, conhecido como Forence, é natural de Kibigori, no Quénia, e vivia condicionado pelo tamanho gigantesco dos seus genitais. O homem, de 20 anos, sofre de elefantíase, uma doença parasitária, que causa o inchaço e engrossamento da pele da zona afetada, no caso de Forence, o pénis e os testículos, que tinha os genitais com 20 vezes o tamanho normal. O homem notou um pequeno quisto nos genitais em 2006, quando tinha apenas 10 anos. Foi subemitido a uma pequena cirurgia mas, um ano depois, o quisto estava de volta e maior. Nova operação e, pouco tempo depois, a história voltava a repetir-se.
Eventualmente o inchaço tomou proporções gigantescas: aos 20 anos, Forence tinha o pénis e escroto com cerca de um metro. “No início achei que fosse uma borbulha ou uma picada e em pouco tempo tinha o tamanho de um punho. Nunca parou de crescer”, recorda o queniano. Eventualmente Forence não conseguia usar roupas nem andar e teve que desistir da escola. Sem dinheiro para mais cirurgias, o jovem passava os dias com o irmão e a avó, uma vez que os pais morreram quando este tinha apenas cinco anos. “A minha avó dizia que tinha uma doença, uma maldição.
img_757x498$2017_10_27_09_50_41_680141_im_636446946692499211 (1)
Eu sabia que isto não era trabalho de Deus: era coisa do diabo!”, afirma o jovem. A avó tentou curar a doença com ervas medicinais, que não ajudaram e acabaram por causar uma alergia e dores insuportáveis a Forense. Desesperado por ajuda, o queniano recorreu a um amigo, que lhe tirou várias fotografias e as colocou nas redes sociais, com um pedido de ajuda. Em pouco tempo a publicação tornou-se viral no Facebook e , escassos dias depois, Forense foi contactado pela mulher do Governador, Olivia Ranguma, que enviou uma ambulância e um médico para tratar o jovem.
Forense acabou por ser levado a um dos maiores hospitais do Quénia onde foi corretamente diagnosticado. A doença tinha sido causada ela picada de um mosquito, que tinha infetado a corrente sanguínea do jovem com bactérias e larvas. As larvas tornaram-se parasitas e acabaram por bloquear o sistema linfático de Forense, causando o inchaço. Seguiram-se duas demoradas e perigosas operações: uma para reduzir o tamanho dos genitais e retirar os tecidos em excesso, e outra para reconstruir o pénis e testículos (assim como o trato urinário) do jovem.
“Haviam uma grande ramificação de vasos sanguíneos em toda a zona e, bastava um descuido e ele podia sangrara até à morte. Foi uma operação muito complicada”, explica o cirurgião Dan Raburu. Mas foi um sucesso. Forense não podia estar mais feliz por ter uns genitais com tamanho e forma normal. “Fiquei tão surpreendido, tão feliz quando não senti aquele peso. O meu corpo estava mais leve, eu estava mais leve. Agora já posso nadar, e correr e jogar futebol. Estou livre”, afirma Forense. O jovem descobriu ainda que os testículos são saudáveis intactos, pelo que poderá ser pai. “Agora quero educar-me e arranjar um trabalho, para poder ter uma mulher, filhos e sustentar a família”, conclui Forense.